sexta-feira, 7 de setembro de 2012

"A MÁQUINA FOTOGRÁFICA É UM ESPELHO DOTADO DE MEMÓRIA, PORÉM INCAPAZ DE PENSAR" Arnold Newman

"


Muito bacana a arte do fotógrafo Alan Sailer, equipado com uma espingarda de pressão, uma câmera Nikon D40 e um flash de um microsegundo, que ele mesmo fez ao custo de US$ 300,00, Sailer produz fotos do momento exato em que o “chumbinho” (em algumas fotos dá para ver o chumbinho tipo Diabolô) atravessa frutas e objetos de vidro.

O flash é parte fundamental na produção das fotos, sob o risco de estar enganado, a câmera fica com o obturador aberto o tempo inteiro, em um local escuro, e o flash é ativado automaticamente. Para ter idéia de quanto é rápido o flash feito do Sailer, um flash normal ‘estoura’ em 1/1000 de segundo, o dele, em 1/1.000.000 de segundo.

A PÓS MULHER - Mario Prata na REVISTA ÉPOCA






A PÓS MULHER - Mario Prata

REVISTA ÉPOCA
Esse negócio de dizer minha ex-mulher, ou a ex-mulher do fulano, acabou. Agora se diz minha pós-mulher. A invenção não é minha, muito menos as mulheres. Quem me soprou a inovação foi uma bela mulher de 52 anos, algumas vezes pós e que hoje, pasme!, dá aula para homens sobre o que é uma pós-mulher. 

Claro que o surgimento da pós-mulher não elimina as ex-mulheres. Portanto nem todas as ex-mulheres tornam-se, automaticamente, pós-mulheres. Sim, porque tem ex-mulher que nasceu para ser ex-mulher o resto da vida. São aquelas que se dedicam a infernizar a vida do ex, a quem chamam - sempre! - de falecido. Muito embora o falecido seja obrigado a depositar uma grana viva todo mês para que ela se conserve na posição de ex. 

Já a pós-mulher descobriu que ser ex a nivela a times de futebol e agências de publicidade. Fulana, ex-DPZ, ex-Salles, ex-W, ex-Julio Ribeiro, ex- Alcântara Machado. Já a pós, pode se orgulhar de ser uma pós-Ricardão. 

O ex que a mulher carrega a prende eternamente ao 'falecido'. É como se ela vivesse grudada umbilicalmente a ele. Já a pós, dá a nítida impressão de que já passou pelo sujeito. Que ela avançou na vida, que é, digamos, pós-graduada em homem. Uma pós-mulher entende de homens como ninguém. Uma ex-mulher será definitivamente uma ex, dando a impressão de que ela é quem foi a abandonada. 

A ex-mulher leva embora a impressão de ter ficado apenas com as partes ruins do ex. Como se ela não tivesse aproveitado nada da convivência de alguns anos. A pós-mulher sai de cabeça erguida, ciente de ter sugado tudo do antigo amor e estar preparada para outras aventuras e vidas e amores. 

A pós-mulher é independente, é claro. Ao contrário da ex que não consegue passar um dia sem imaginar maldades para o coitado. 

A pós se orgulha de ser pós. Mesmo que o marido tenha sido um fracasso com ela, ela pode dizer que hoje ela é pós-ele, ou seja, superior, liberta. E, se o cara for legal, mais sentido ainda faz ser pós-dele. Aliás, as grandes pós-mulheres se orgulham de suas condições. 

E tem mais: uma pós honesta e esperta é pós apenas uma vez na vida. Torna-se doutora, Ph.D. em homem, senhora de si e orgulho para os filhos. 

Vou dar um exemplo de uma pós-mulher. A prefeita de São Paulo. Ela não é ex-mulher do Eduardo. Ela é pós-Eduardo. Cresceu com ele, aprendeu com ele e deve se orgulhar de ser pós-mulher dele. Já a Nicéia é ex-mulher do Pitta. Entendeu a diferença gritante entre uma ex e uma pós? 

E eu, modesto, não tenho nenhuma ex. Tenho duas maravilhosas pós-mulheres. 

E você, é ex ou pós? 

Não se esqueça que a pós-mulher está acima de qualquer intriga com o antigo marido, costuma resolver problemas para ele e será para sempre não uma ex, mas uma eterna companheira. Uma mulher do pós-futuro.



quarta-feira, 5 de setembro de 2012

HISTÓRIA DE AMOR e a Fotografia - lindo!!!

video
Um vídeo super-legal que me mandaram no email e eu sempre que tenho oportunidade mostro para os meus alunos de fotografia e pásmem... muitos se emocionam com o desenrolar da história.
Assistam....